imagem dissertação GabrielaPrelecionista: Gabriela Alves da Costa Data: 29/04/2022, às 08h, no Sala 102-A do Departamento de FItopatologia

Orientador: Leandro Grassi de Freitas

Resumo: A cultura da soja é acometida por uma diversidade de fitopatógenos, dentre eles o nematoide Meloidogyne javanica, capaz de causar elevadas reduções na produtividade. Diante das dificuldades no controle convencional deste fitopatógeno, foram realizados ensaios com o fungo nematófago Monacrosporium thaumasium para avaliar seu potencial como agente de biocontrole no manejo do nematoide das galhas em soja. Assim os objetivos do presente trabalho foram: a) avaliar diferentes concentrações de fragmentos miceliais de M. thaumasium em plantas de soja no controle de M. javanica; b) avaliar a viabilidade de M. thaumasium após processo de liofilização; c) avaliar a capacidade predatória de M. thaumasium sobre ovos e juvenis de M. javanica; d) avaliar a possibilidade de interação entre M. thaumasium e plantas de soja; e) avaliar a indução de resistência sistêmica através de M. thaumasium em plantas de soja infectadas com M. javanica. Os resultados demonstraram que o incremento na concentração do fungo M. thaumasium aumenta a capacidade de reduzir a população do nematoide M. javanica em até 59,42%, além de melhorar o desenvolvimento de plantas de soja. A liofilização do micélio de M. thaumasium inativou o fungo e unidades formadoras de colônias não foram detectadas em meio de cultura após a incubação por 7 dias. Em solo microcosmo, o fungo foi capaz de reduzir o número de juvenis, com uso de fragmentos miceliais não liofilizados em apenas um dos dois ensaios realizados. A avaliação da associação de M. thaumasium com raízes de soja não evidenciou estruturas fúngicas associadas à superfície ou internamente à raiz, entretanto foi observado um maior número de pelos radiculares em raízes mantidas em solo infestado com o agente de biocontrole em comparação com o tratamento testemunha. O teste de indução de resistência não apresentou redução no processo de infecção de M. javanica, entretanto plantas em contato com o fungo predador apresentaram diferença significativa na massa seca de parte aérea, com aumento de 66,66%, e melhor desenvolvimento.